São incontáveis as vezes em que eu me pego agindo como na época das histórias que contei aqui outro dia. Me machuca horrores eu perceber o que certas coisas fazem comigo e como eu simplesmente não sei o que fazer com elas, nem como evitá-las.

As coisas acontecem. Os sentimentos voltam, os mesmos medos, a desconfiança, a insegurança. Eu me vejo excluído, enquanto tudo acontece. Enquanto o mundo não precisa de mim, enquanto o mundo não me quer... E eu peço colo. Eu fico ali de baixo pulando e gritando e sinalizando que quero que alguém me pegue, me tire dali, resolva o problema e garanta que vai ficar tudo bem. Ou que me leve pra onde eu quero ir, que coloque onde eu gostaria de estar.

Quando meu pai morreu, eu não tive opção nenhuma. De nada. Minha irmã nem no país estava, minha mãe já estava separada dele há quase 15 anos... Era eu que tinha de resolver tudo. Eu não tava fora de nada, o mundo parou. E eu fiz tudo o que precisava fazer, tudo, tudinho.

Como eu faço pra sentir isso de novo? Pra eu parar o mundo e entrar? Pra que eu não fique mais pulando, chamando atenção, enquanto o colo não vem? O que eu preciso fazer?

Que merda que é eu ter tido esse único momento, essa única lembrança, com a morte do meu pai. Que merda.