Fez dois anos esses dias que eu coloquei meu Xbox One pra vender. Sinto falta dele, por uma série de razões -- uma delas é o lance de "Xbox Desligue" se eu queria, bem, que ele desligasse. Era tudo legal. O menu, o controle... Eu tinha uma porrada de jogo. Só que o dinheiro acabou e eu tive de passá-lo pra frente se quisesse pagar aluguel, comer e fazer terapia. Era a coisa mais cara e supérflua que eu tinha em casa depois do PS3, que ninguém se interessou e continua por aqui.

Com a quarentena, me vi quase que OBRIGADO a comprar um videogame novo, já que tava ficando realmente difícil o isolamento dentro de casa sem muitas opções de entretenimento -- e a cabeça tava numa situação em que assistir a uma série ou filme era realmente exaustivo.

Quer dizer... Ainda cansa. Não tá fácil. Vejo gente assistindo a trocentos filmes da Mostra de SP e só me pergunto "como aguenta?". Mas isso é conversa pra outro dia.

Acabei então comprando o PS4. Dessa vez a ideia de amiguinhos pra jogar junto pesou, além do fato de que eu já tive o Xbox One e nunca nem sequer tinha segurado no controle do novo PlayStation. Havia muito jogo pra jogar e, óbvio, com a nova geração DOBRANDO A ESQUINA, podia aproveitar pra tirar o atraso.


Eis então que ela chegou, essa semana. A ideia de comprar um novo Xbox tá na minha cabeça desde que foi anunciado. Não pelo seu poder, ou algo técnico assim. Mas se eu gosto tanto do console, desde o 360, se sinto tanta falta do meu One, se tem o tal do Game Pass... Por que não?

Olha, nesse momento, é porque eu não tenho quatro mil e tralala pra gastar e nem posso me comprometer com uma dívida tão grande sendo freela (e ainda tendo de pagar o outro videogame). Mas é também porque, eu percebi essa semana, que eu não ligo meu videogame todo dia pra jogar. Eu ligo, literalmente, pra ter algum contato com o mundo exterior.

Tal do Hollow Knight tá grátis na PS Plus e um monte de gente falo bem. Baixei, fui jogar e só de pensar em mapinhas e encontrar coisinhas... Argh. Eu não quero isso. Eu não quero JOGAR. Eu nem gosto de jogo tanto assim. Eu gosto de me distrair, eu gosto de uma boa história, de me divertir. Mas, hoje em dia, eu gosto mesmo é de não me sentir tão sozinho.

Então tou lá eu, todo dia, jogando GTA 5. Algumas várias horas por dia, conseguindo uns milhões, num mapa que eu já tou acostumado, fazendo coisas que eu sei como funcionam e eu faço se eu quiser ou não e, na maioria das vezes, com pelo menos um amiguinho no fone.

Óbvio que eu preciso e queria muito mais contato com pessoas, nem que fosse no ônibus indo pro escritório que eu falo como se fosse algo que de fato eu poderia fazer, já que não sou funcionário há mais tempo do que fui. Mas nesse momento isso tem me ajudado. É uma rotininha que eu acabei tendo e que não vejo mudando tão cedo.

Não tem porque eu querer comprar um jogo novo, imagina um CONSOLE?

Esse PS4 foi, a cada dia eu percebo mais, um maravilhoso investimento. Mais que isso... É como GTA5 pra Rockstar. Pra que algo novo e mais moderno se podemos ter algo que funciona e rende muito bem? :)