Eu queria ser uma pessoa melhor. Mas não só uma pessoa melhor como ser humano, esse tipo de coisa. Isso também... Mas eu queria ser uma pessoa mais interessante. Eu queria ser alguém com quem as pessoas gostam de conversar.
Eu queria saber muito sobre algumas coisas, pras pessoas quererem conversar comigo sobre elas. Eu queria saber sobre música, e não só gostar. Eu queria não ter inventado um mecanismo de defesa em que é mais fácil eu ser ranzinza com algo do que de fato falar sobre.

Ao mesmo tempo, eu sei algumas coisas sobre muitas coisas. Até me irrita um pouco quem sabe muito sobre uma ou duas e não expande o conhecimento. E poxa, eu já fiz algumas coisas realmente interessantes, sim, mas que culpa eu tenho se elas não interessam pras pessoas? Eu já viajei pra lugares que muito pouca gente vai, já tive acesso a coisas que muito pouca gente tem e no máximo o que dizem sobre tudo isso ou é algum tipo de ironia "nossa, ele já viajou muito noooosa" ou querem saber qual celebridade é mais legal ou não. Azar deles.

Eu queria também não fazer com que tudo fosse sobre mim. Eu queria conseguir me distanciar o suficiente do mundo pra poder pensar em mim. Deixar as pessoas existirem, sem querer que todas gostem de mim, sem achar que todas me odeiam, sem ter certeza de que eu sou assunto, que eu sou razão, que querem me machucar. Não queria passar meus dias com esses pensamentos, uma vontade muito grande de chorar, uma sensação horrível no peito, na garganta. Mas o que esperar também de quem tem esses Divertidamente?

Ao mesmo tempo, eu sei que algumas coisas são sim sobre mim. Eu sei porque eu já vi acontecer antes. A gente ouve uma vez, ouve a segunda, já sabe o que esperar na terceira, por mais que prefira não acreditar. O mundo não é sobre a gente, mas algumas coisas são. Algumas coisas são, sim, como a gente pensa que são. A gente, por várias vezes, está certo. A parte boa disso tudo, porém, é que passa. Dói pra caralho inicialmente... Mas passa. Alivia. E nem demora muito. Aí é só querer nada além do melhor.

Eu só queria respirar um pouco. Ter um dia calmo. Ter um dia de tranquilidade. Eu não aguento mais bater de frente com tudo o tempo todo ao mesmo tempo.
Eu queria sumir também. Eu queria ir morar no mato, só precisava de uma piscina (e pode ser natural). Eu mudaria de nome, mudaria tudo. Eu começaria do zero. As vezes eu penso que é só assim.

Ao mesmo tempo, eu sei que não é só assim. Esse é, no fim das contas, um sentimento mais fácil, um com o qual eu fui acostumado a conviver. Eu posso não saber como fazer diferente, mas pelo menos eu sei que pode ser e busco por isso.

E esse foi o meu rant adolescente de hoje. ✌️😙 (Melhor adolescente que infantil, vá!)