Então eu assisti à Star Wars: A Ascensão Skywalker de novo. Por vontade própria, inclusive.

Antes de mais nada, isso aqui é o que eu escrevi sobre a conclusão da saga, no dia em que assisti ao filme:  Xoxa, capenga, manca, anêmica, frágil e inconsistente: com nova trilogia, Star Wars virou coisa de criança mimada.

Eu tava com os outros dois filmes da trilogia frescos na cabeça e escrevi a partir desse ponto de vista. Mais que isso: eu o assisti encaixando nos outros dois e em toda a Saga Skywalker. Nesse sentido, não há como mudar uma vírgula do que eu já escrevi. É um filme que se acovarda horrores diante dos outros. É triste, medroso, fraco. Uma conclusão horrível para a maior história já contada na cultura pop.

Com nova trilogia, Star Wars virou coisa de criança mimada
Pra que toda uma nova trilogia, se justamente o que é novo nessa saga incomoda TANTO a ponto de ser completamente rechaçado?

Como um filme stand alone, porém... ele é bem ok. BEM ok. Arrisco a dizer até que ele é melhor Star Wars: O Despertar da Força -- uma comparação que só é possível porque existiu Star Wars: Os Últimos Jedis no meio, é bom deixar claro, já que JJ Abrams se viu obrigado a usar alguns elementos, contra a própria vontade, definidos por Rian Johnson. Tem coisas que não se pode voltar atrás, ainda bem.

Star Wars: A Ascensão Skywalker aperta os mesmos botões de Star Wars: O Despertar da Força: não se arrisca, traz todos os principais personagens de volta, apresenta alguns novos e, a partir daquele fim, poderíamos ir adiante. Poderíamos. Porém, quando demos um mísero passo pra frente, tivemos de voltar tudo o que era possível porque Star Wars, bem... não é pra seguir adiante.

Star Wars deveria ter sido só os três primeiros filmes, a trilogia original, os episódios IV, V e VI. Foram eles que formaram os fãs e, por conta disso, são eles que ainda formam fãs. É por isso que existe "ordem correta" pra assistir aos filmes, é por isso que o ator que interpretou Jar Jar Binks pensou em suicídio, é por isso que eu ouvi, numa JediCon, se com os ainda vindouros filmes da Trilogia Covarde, "Star Wars não corria o risco de se tornar carne de vaca".

Na parte de baixo dos filmes que eu já vi na vida, tem uma divisão bem clara pra mim. De um lado, os filmes ruins; do outro, filmes errados. E a diferença está na pretensão.

Já que estamos saindo dos 2010s e indo pros 2020s, posso afirmar que Batman VS. Superman é o pior filme da década porque poucas coisas foram mais pretensiosas, em diversos sentidos, INCLUSIVE cinematográficos, que essa ~obra de Zack Snyder. Mas assim... De longe.

Star Wars: Episódio IX (percebam que eu tou me referindo ao filme como Episódio IX, nao ao seu título) é outro filme que entra nessa história. Aquele Bright, do Netflix, com o Will Smith, também se encaixa perfeitamente entre as piores coisas que assisti (e me lembro risos) nesses últimos dez anos. Coringa a mesma coisa.

Cats, porém... Alguém esperava alguma coisa? Desde o trailer já tava pra ter noção do que viria. Há quem diga ainda que o próprio musical da Broadway já era um indicativo. Aí, entre toda a sempénecabecisse, entre toda a caracterização bizarra, entre todas a gordofobia, o filme vai pro cinema sem estar 100% pronto. Não há nada de mais EQUIVOCADO que isso. Nada.

Cats tem um lugar na prateleira junto com os filmes do Adam Sandler pro Netflix, os Transformers do Michael Bay que, como todo gato, tá lá tentando derrubar. É só errado. Dá sono. Você só se arrepende de ter entrado naquela sala... E depois de um tempo nem lembra mais que existe. ¯_(ツ)_/¯

Então ficamos assim: Cats não é pior do que parece, é exatamente o que se espera. Mas eu já assisti a filmes muito piores... Star Wars: Episódio IX entre eles.

Não me @!